quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

“Pré-Conceitos”, pintura eletrônica de Higor Nitzsche

Pré-conceito, conceito, preconceito. Uma idéia é, por si só, um labirinto e cada pessoa desenvolve mil elos, mil links, através de um mesmo lampejo. Por que estamos trabalhando com o maior dos labirintos: o cérebro, o núcleo atômico que gera o pensamento e o pensamento viaja em velocidades não cronometráveis e caminha por entranhas e estranhas estradas não mapeáveis, tudo porque depende do grau de informação, de percepção, de sensibilidade e de valores inerentes ao ser que o está desenvolvendo.
Nesta tela eletrônica Higor Nitzsche, cria com grande domínio de técnica gráfica e artística este labirinto. O amor é um labirinto, a arte é um labirinto. Desvendá-lo depende do olhar, depende da expectativa, da perspectiva, do grau de informação, de crítica de cada um. Tenho certeza de que sua tela terá diversas interpretações, olhares bem diferentes, distintas conotações. Desde uma contemplação, um espetáculo, uma loucura, uma discriminação, uma vertigem, até mesmo um espaço branco preenchido de negro, nenhuma visão diminui e tudo contribui para o real valor do trabalho: abrir possibilidades.
Para mim é entrega, é arte pura, sensível, elaborada. Sacia-me o meu espírito de poeta e pintor, e ser mergulhado neste universo. Aguça-me diversos sentidos, faz-me querer entrar neste labirinto, viajar (sem querer explicar nada, arte não se explica, se faz). Não me interessa se é uma alusão ao calçadão de Copacabana, à dicotomia ou alegria humana. Interessa-me o estado de deleite. O elemento artístico e belo. Interessa-me o que irá provocar em muitos e as questões que a tela irá, por si só, levantar, alavancar.
Higor, obrigado pelo prazer do olhar, do sentir, do alucinar-me. O resto é e será sempre, dúvidas, incertezas e divagações...

3 comentários:

HNit disse...

Fico honrado em ter um espaço no seu blog para divulgação e degustação da minha primeira tela digital. Meu objetivo você entendeu de primeira que era experimentar qual seria a reação das pessoas ao ver um quadro formado por um assunto tão polêmico que é o preconceito, dependendo dos olhares verão uma dança de diferenças em ritmos desproporcionados e com um sentido, o amor. Onde há amor não deve haver discriminações ou qualquer forma de preconceito.

HNit disse...

Fico honrado em ter um espaço no seu blog para divulgação e degustação da minha primeira tela digital. Meu objetivo você entendeu de primeira que era experimentar qual seria a reação das pessoas ao ver um quadro formado por um assunto tão polêmico que é o preconceito, dependendo dos olhares verão uma dança de diferenças em ritmos desproporcionados e com um sentido, o amor. Onde há amor não se deve haver preconceitos ou discriminações... Divirtam-se.

Urha disse...

o blog é nosso... nós criadores devemos estar sempre de corações abertos para receber as criações dos outros, para apereciá-las. devemos estar de cabeças abertas para poder criar uma grande corrente de idéias. afinal, o ser humano deveria se abraçar mais e guerrear menos. aumentando o afeto dinimui o preconceito, diminui a guerra.